Meditação, uma atitude mais positiva perante a vida




A meditação consiste num estado em que o seu corpo e mente estão conscientemente relaxados e concentrados. Os praticantes desta arte são mais conscientes, concentrados e focados, tendo também uma atitude mais positiva perante a vida.

A meditação é usualmente associada a monges, místicos e a outras disciplinas espirituais. Contudo, não é necessário que seja um monge ou um místico para desfrutar dos seus benefícios. E nem sequer precisa de estar num sítio especial para a praticar. Poderá até praticá-la no seu próprio quarto!

Como começar a meditar




Apesar de existirem diferentes visões da meditação, os princípios são os mesmos. Um dos princípios mais importantes é a remoção de todos os pensamentos obstrutivos, negativos e divagantes e fantasiar, acalmar a mente com o sentido profundo de concentração. Isto limpa a mente e prepara-a para a uma actividade de alta qualidade.

Os pensamentos negativos que você tem – sobre vizinhos barulhentos, colegas de escritório mandões, sobre a multa de estacionamento que recebeu, e todos os pensamentos indesejados – contribuem para a «poluição» da mente, e desligá-los permite a «limpeza» da mente para que se possa concentrar em pensamentos mais profundos, significativos e positivos.

Alguns dos praticantes conseguem abstrair-se de todas as recepções sensoriais – sem ver, sem ouvir e sem tocar em nada – e tentam desligar-se de tudo à sua volta. Você poderá focar-se num pensamento profundo, se for este o seu objectivo. Isto pode parecer um pouco ineficaz ao inicio, uma vez que estamos acostumados a ouvir e a ver constantemente, mas com a continuação deste exercício irá ficar mais consciente de tudo o que está à sua volta.

A escolha da posição para meditar

Se achar que as posições de meditação são demasiado difíceis – aquelas em que os praticantes arqueiam as costas de maneiras impossíveis, e contorções com aspecto doloroso – não precisa de se preocupar. O mais importante é que esteja numa posição confortável que permita a concentração, seja sentar-se com as pernas cruzadas, deitar-se ou até andar.

Se a posição lhe permitir relaxar e concentrar-se, é um bom ponto de partida. Se a posição que escolheu é estar sentado ou em pé, as suas costas devem estar direitas, mas não tensas ou rígidas. Noutras posições, o inconveniente é o perigo de adoptar uma má postura ou adormecer. Roupas confortáveis e largas irão ajudar imenso no processo, uma vez que as roupas justas têm tendência a apertá-lo e a fazê-lo sentir-se tenso.

O local perfeito para meditar

O local onde medita deve ter uma atmosfera tranquilizadora. Pode ser a sua sala, ou quarto, ou qualquer sítio onde se sinta confortável. Se pretende realizar posições mais desafiantes (porque se sente mais concentrado dessa maneira, ou porque descobriu o contorcionista em si), será melhor adquirir um tapete de exercícios. Também poderá arrumar o local no sentido de o tornar mais confortável.

O silêncio ajuda a maioria das pessoas a relaxar e a meditar; se for o seu caso, procure um local calmo e isolado, longe do toque do telefone ou do barulho da máquina de lavar. A estimulação dos sentidos também o poderá ajudar, acender algumas velas aromáticas ou incenso talvez não seja má ideia.

Os mantras ou sons místicos na meditação

Aqueles monges que vê na televisão entoando aqueles cânticos monótonos estão, de facto, a entoar os seus mantras. Um mantra é, de uma forma simplificada, um pequeno credo, um som simples que, para estes praticantes, tem um valor místico.

Você não tem de entoar um mantra; contudo, é preciso ter em conta que concentrar-se em acções repetidas como respirar ou sussurrar ajudá-lo-ão a atingir um estado elevado de concentração. O principal é a concentração. Poderá também tentar focar-se num certo objecto ou pensamento, ou até, se mantiver os olhos abertos, focar-se apenas numa vista.

Um exemplo disto pode ser – mesmo num estado meditativo – dizendo para si mesmo cada parte do seu corpo e focando a sua concentração nessa mesma parte. Enquanto estiver fazendo isto, esteja consciente das tensões que podem existir em qualquer parte do seu corpo. Visualize mentalmente o alívio desta tensão.

Os riscos da meditação

No seu todo, a meditação é uma prática sem riscos relativos e os seus benefícios valem o esforço (ou o não esforço – relembre-se de que estamos a falar de relaxar). Os estudos mostram que a meditação traz efeitos psicológicos benéficos para o corpo. Por isso, num futuro próximo, quem sabe, esta prática mística e esotérica a que chamamos meditação se torne uma ciência em si.

E você tem por hábito meditar? Como começou? Que tácticas utiliza para se concentrar? Partilhe as suas experiências nos comentários!

6 comentários

  1. por favor preciso de mais inf comessei o curso haje yoga mais estou muito perdida não me encontrei nesta nova esperiencia isto é uma seita uma congregação o que sgnifica gosto de meditar mais não com olhos abertos grata por favor me ajude

  2. olá gosto de meditar mais confuza comecei um curso de yoga brahma kumares mais estou boihando não fiz yoga haje yoga nem sei o que é estou muito perdida acho que vou desistir ,porque meditam de olhos abertos e não fazem exercicios fizicos? gostaria de mais informaçõ não estou sabendo lidar com esta nova esperiencia por favor me ajude grata

  3. Concordo plenamente….
    O melhor ‘e prestar a atencao no dia em cada detalhe que acontece, estaras se concetrando em algo e afastando pensamentos inuteis e negativos. Ex(prestar atencao a forma que alguem fala com outro, olha, a matricula de um carro..) acho que a chave para uma boa meditacao ‘e o equilibrio e a concetracao nao emporta o tipo de meditacao. O dificil ‘e chegar a esse 100%.

    Eu pratiquei a meditacao de Raja Yoga a 1 anos. (Meditacao com os olhos abertos). e Agora estou a voltar.

    Parece uma trilha sem fim onde a cada passo dado aprendes algo de novo.

  4. Olá!
    Achei muito interessante o artigo e eu proprio medito e visualizo diariamente. Como me interesso bastante por Osho, no outro dia li uma historia dele sobre como tudo na nossa vida pode ser motivação se nós quisermos.
    Segundo a historia, sempre que nós estamos verdadeiramente a 100% no momento, estamos a meditar… mesmo que estejamos a passear ou almoçar…
    O que você acha?

    Obrigado

  5. Olá Edgar,
    Gostei bastante do seu artigo sobre a meditação, um óptimo guia para principiantes. Eu comecei a meditar à 5 anos quando praticava Yoga. Entretanto desisti e agora estou a tentar recuperar esse óptimo hábito.
    Para meditar tento fazer a menor cerimónia possível, opto por uma prática bem simples. Costumo concentrar-me na minha respiração, ouvir uma música relaxante ou mesmo escutar a natureza (claro que para quem vive na cidade isso não é possível: mas existem uns auscultadores que bloqueiam o som que são incrivelmente bons).
    É uma arte complicada para quem não entende as subtilezas, mas o essencial passa mesmo por “calar” o discurso infindável de pensamentos insignificantes que poluem a nossa mente. Meditar tem-me ajudado bastante nos últimos tempos, às vezes 5min bastam para sair de um estado stress ou de um ciclo de pensamentos negativos que não nos deixam concentrar.

    Um abraço,
    Ana

Deixar uma resposta